Foram debatidas estratégias e ideias para beneficiar as casas de Cultura e os artistas e trabalhadores envolvidos na área da cultura.

Grupo é formado por secretários da Grande Aracaju e alguns municípios do interior do estado.

Com o objetivo de debater e compartilhar posicionamentos relativos à implementação da lei Aldir Blanc em Sergipe, gestores municipais de Cultura da Grande Aracaju, e alguns municípios do interior, estão organizados em coeso Grupo de Trabalho.

Com reuniões virtuais realizadas semanalmente, o grupo vem se debruçando sobre a atualização da Lei e discutindo proposições de alinhamento para melhor aplicação dos recursos em seus municípios.

Segundo o presidente da Fundação de Cultura e Turismo João Bebe Água, de São Cristóvão, e presidente do Fórum de dirigentes municipais de Cultura do Estado de Sergipe, Gaspeu, a articulação tende a otimizar a Execução da Lei. “Estamos discutindo os melhores caminhos para que os impactos sentidos pela classe artística sejam minimizados”, ressalta.

Já para o presidente da Funcaju (Fundação de Cultura e Arte de Aracaju), Luciano Correia, são os municípios que, diante de suas competências legais de atendimento à população, têm o melhor entendimento das demandas da classe artística. “É importante que os municípios conversem sobre a melhor aplicação dos recursos da Lei Aldir Blanc, porque conhecem mais a realidade e estão mais próximos das necessidades da classe artística. Há décadas que os municípios lutam por uma melhor distribuição das receitas públicas e essa lei, no âmbito da cultura, deve reparar essa injustiça histórica perpretada por estados e a União.”

Troca de experiência e proposituras

O levante das informações das políticas públicas de cada município, com o devido entendimento de cada contexto cultural, além da formalização da construção de propostas e o devido encaminhamento frente à nova Lei é, sem dúvida, o maior trunfo da formalização deste Grupo de Trabalho.

“Nós estamos apoiando uns aos outros e dialogando muito. É uma troca de experiência enriquecedora. Além disso, estamos compartilhando ideias que certamente serão muito importantes para destinarmos de forma mais assertiva os recursos que chegarão aos municípios. É um movimento municipalista considerável e que trará bons frutos para a cultura sergipana”, ressalta Renato Nogueira, secretário de Cultura de Nossa Senhora do Socorro.

Participação

O Grupo tem participação de Gaspeu Fontes e Elma Santos (São Cristóvão); Luciano Correia, Alisson Couto e Thiara Câmera (Aracaju); Renato Nogueira (Nossa Senhora do Socorro); Maria Silva e Roberto Fernandes (Barra dos Coqueiros); Maria Gardênia (Laranjeiras); Jane de Oliveira (Maruim); Palmiro Fontes (Itaporanga); Manoel Menezes (Estância); Daiane Santana (Simão Dias); Tereza Raquel (Canindé).